É a Ecologia um Tema Essencial nos Dias Atuais?

15/02/2007 00h51

Leny Mrech

Hans Jonas é um autor brilhante. Um visionário. Esta constatação emergiu para mim no úiltimo módulo do Projeto Análise, ao lermos o capítulo 6 do livro O Princípio Responsabilidade.

Desde 1979 o autor já havia se preocupado com a questão ecológica, com o efeito estufa. Além disso, ele também questionou as concepções utópicas, a própria proposta marxista.

Hans Jonas sabia que a direção do progresso não é necessariamente progressista. Que a natureza não é uma fonte inesgotável de riquezas e nem que se poderia ter uma homeostase constante entre os bens produzidos e consumidos. A natureza falha, os sistemas econômicos e políticos também.
Sem falar no sujeito.

Ele sabia o essencial: que nós temos que ser responsáveis por aquilo que fazemos. Que o homem verdadeiro é um ser inacabado. Como diz o Dr. Jorge Forbes vivemos a época do homem desbussolado. No passado havia a crença de que a ciência fosse nos completar. O mundo atual revela os limites e impasses da ciência, do saber. Eles não podem tudo.

O que fazem os artigos que procuram despertar os leitores para as catástrofes do futuro? Instauram o pânico, que paralisa o sujeito.

A Psicanálise revela que é na ação e na implicação que o sujeito está.
Incompleto com ele mesmo, assim como em sua relação com a sociedade e a cultura.

Hans Jonas propõe um adeus às utopias. Um bom dia para as nossas ações responsáveis.

O homem verdadeiro se faz a cada dia com a construção de suas ações responsáveis. Uma aposta de Hans Jonas, uma aposta da Psicanálise.